Descrição do Blog

Este Blog é um compilado de pesquisas, fatos históricos e curiosidades acerca de um dos mais importantes rios de Minas Gerais.
A intenção é reunir, em um único lugar, informações relevantes a respeito do Rio Paraibuna.

terça-feira, 9 de junho de 2015

Percurso Geral do Rio

A bacia do Paraibuna é formada por três rios principais: o Paraibuna, o Cágado e o Peixe. O Paraibuna nasce na serra da Mantiqueira a 1.200 m de altitude e, depois de percorrer 166 quilômetros, lança-se à margem esquerda do Rio Paraíba do Sul a 250 m de altitude.

O rio percorre as seguintes cidades: Antônio Carlos, Santos Dumont, Ewbanck da Câmara, Juiz de Fora (com 70% do seu curso), Matias Barbosa, Simão Pereira, Belmiro Braga, Santana do Deserto e Chiador.

O Paraibuna segue no sentido noroeste – sul sudoeste, recebendo pequenos afluentes. Os 3 principais afluentes são: Rio Preto e Rio do Peixe, que ficam à margem direita e o Rio Cágado, que se localiza à margem esquerda do Paraibuna. Este sistema de formação é benéfico à agricultura da região, ainda que pouco desenvolvida. 

Após receber o Rio Preto, o Paraibuna torna-se o limite natural entre os estados de Minas Gerais e Rio de Janeiro. O modelo natural se dá devido à resistência horizontal das formações de argilas.

Ao descer a escarpa da Mantiqueira, o Paraibuna passa a ter uma declividade em seu alto curso. Na região compreendida entre Chapéu D’Uvas e o centro de Juiz de fora o Paraibuna desce devagar com pequena declividade, em pontos excepcionais as características se alteram devido à formações rochosas.

Após a ponte Getúlio Vargas o regime do Rio torna-se torrencial, junto ao abrigo Santa Helena. A partir daí, o rio passa serpenteando um estreito e profundo vale rochoso, sendo entrecortado a pequenos intervalos por sucessivas corredeiras.

Próximo à usina de Marmelos, o rio retorna sua declividade até Sobragy. O Rio Paraibuna segue retilíneo dentro do município de Juiz de Fora, numa faixa de 32 Km de extensão com 4m de desnível por quilômetro.

Um comentário: